GuidePedia

0

Ex-lateral foi responsável por escalar volante com apenas 15 anos entre profissionais, no Rubio Ñu, campeão no Olimpia e o convocou para seleção: "Mistura de Cesar Sampaio com Galeano"

Mistura de Cesar Sampaio com Galeano e possibilidade de atuar ao lado de Cuéllar, não apenas disputar posição com o colombiano. Se o torcedor do Flamengo segue curioso sobre Robert Piris da Motta, a definição de Francisco Arce ajuda a criar boas expectativas ao mais recente reforço.
Foi o ex-lateral de Grêmio e Palmeiras o responsável por identificar o talento precoce no ainda menino de 15 anos, nascido em Ciudad del Este.
Foi com esta idade que Piris estreou entre os profissionais do modesto Rubio Ñu, em 2010, juntamente com Derlis González, recém-contratado pelo Santos. A força física e, principalmente, a personalidade do ainda adolescente chamaram a atenção de Arce, seu comandante também no Olimpia e na seleção paraguaia.
- Já mostrava muita qualidade e liderança, apesar da pouca idade. Cresceu muito rápido. É um cão de guarda, corre o tempo todo, tem um bom primeiro passe e é um garoto excepcional.
- Comparar é difícil, mas diria que é uma mistura de Cesar Sampaio com Galeano, mas com mais força e velocidade que Galeano - avaliou "Chiqui".
Robert Piris com Arce, em ação pela seleção paraguaia (Foto: Luis Acosta / AFP)
Robert Piris com Arce, em ação pela seleção paraguaia (Foto: Luis Acosta / AFP)
A autoridade com que conquistou o espaço no Rubio Ñu chamou a atenção do gigante Olimpia, quando já era "veterano", aos 20 anos. Uma temporada foi suficiente para alçar novos voos. Campeão paraguaio, foi convocado para a Copa América Centenário, em 2016, e passou a ser figura constante na seleção nacional.
Os dois últimos paraguaios que atuaram pelo Flamengo também eram cabeça de área: Gavilán (2008) e Cáceres (2012-2015)
Após imbróglio sobre diretos econômicos com o Rubio Ñu, se transferiu para o San Lorenzo, onde soube aguardar brecha dada pelo experiente Mercier para se tornar titular absoluto no último Campeonato Argentino.
Comprado pelo Flamengo por R$ 10 milhões, apesar da resistência inicial do "Cuervo", chega para substituir Jonas no elenco. Mas não necessariamente como sombra de Cuéllar.
- Poderá formar uma boa mistura com o Cuéllar, uma boa dupla - deu a dica "Chiqui" Arce.
O jovem Robert Piris com a camisa do Rubio Ñu (Foto: Reprodução)
O jovem Robert Piris com a camisa do Rubio Ñu (Foto: Reprodução)
Na passagem pela Argentina, a facilidade para ocupar espaços e cobrir os companheiros na marcação chamou a atenção. Setorista do San Lorenzo na radio "La Cicloneta", Agustín Sucari aponta as orientações do experiente Coloccini como determinante no processo de amadurecimento do paraguaio de 25 anos recém-completados (no último dia 26).
- Demorou um pouco para ganhar confiança, não acertava muito o primeiro passe e isso lhe custou até mesmo um lugar no banco. Com o tempo, cresceu e se consolidou como um grande cinco, fosse na entrada da área ou entre os zagueiros. Surpreendeu muito.
- Ele se posiciona muito bem para marcar e corre muito para recuperar a bola. Se sente muito à vontade nesta zona do campo. Cobre muito bem os laterais e tem um bom primeiro passe. Acabou se tornando titular indiscutível.
E os números na última Superliga Argentina, quando o San Lorenzo terminou em terceiro, também servem de boas credenciais. Presente em 20 jogos, 17 como titular, teve 81,3% de acerto nos passes, cometeu média de apenas 1,3 faltas por jogo, com 2,6 desarmes e 2,4 interceptações.
Em quase uma década na precoce carreira, são 153 partidas oficiais e quatro gols marcados. Cartas na mesa, é hora de começar um novo capítulo. Agora, em vermelho e preto.
 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

  • Fonte: Globo Esporte

Postar um comentário

 
Top