GuidePedia

0

Buscando voltar a Liga das Américas, Rubro-Negro começa sua caminhada no torneio continental diante do Libertad-ARG, e terá o armador, campeão pelo Brasília em 2015


A briga pela conquista das Américas começa nesta segunda-feira para o Flamengo. Campeão do mundo em 2014, o Rubro-Negro tem como ambição retornar ao topo e para isso inicia em Montevidéu, no Uruguai, a sua escalada. A primeira parada é a Liga Sul-Americana. Diante de Libertad-ARG, Goes-URU e Welcome-URU os cariocas buscam uma das duas vagas na fase semifinal da competição que dá ao campeão o direito de disputar a Liga das Américas, essa sim o passaporte para o título do mundo.
E o Flamengo, bastante renovado da temporada passada, conta com um jogador que sabe muito bem o caminho das pedras na Liga Sul-Americana. O armador Deryk Ramos, campeão do NBB com o Paulistano, venceu o torneio em 2015 pelo Brasília e também foi o MVP da disputa. Com três meses na Gávea, ele espera ajudar os companheiros a buscar esse objetivo. O primeiro rival é o Libertad, às 18h45, com transmissão do SporTV.
- Com certeza é uma sensação que está me fazendo muito bem. Jogar a Sul-Americana e qualquer outra competição com a camisa do Flamengo é diferente, independente do lugar onde seja o jogo. É uma competição que me traz excelentes lembranças, fui campeão em 2015, e agora quero conquistar esse título novamente. Temos totais condições para isso, e com certeza vamos em busca do troféu.
Para Deryk, o Flamengo tem a obrigação de buscar o troféu de qualquer competição que dispute por conta da tradição e da força do grupo formado pelo técnico Gustavo De Conti.
- O Flamengo sempre entra em qualquer competição pensando em título, e agora não é diferente. Sabemos da responsabilidade que temos, mas estamos prontos para isso. Estamos prontos para fazer uma boa primeira fase, garantir a classificação e seguir para disputar vaga nas finais.
Favorito a uma das duas vagas do Grupo D para as semifinais, Deryk espera que o Flamengo não seja surpreendido no Uruguai. Para isso, o foco é redobrado.
- São times perigosos, aqueles típicos em que não podemos vacilar nas partidas. Estaremos fora de casa, quadra nova, tudo novo, mas não podemos dar mole. O time está muito focado, sabemos das dificuldades que encontraremos por lá. Mas também estamos muito confiantes no nosso trabalho.



Fonte: Globo Esporte 

Postar um comentário

 
Top