GuidePedia

0
O discurso na frente das câmeras é de cautela e preservação, mas a atitude de Diego Alves, ao pedir para não viajar com a delegação após saber que seria reserva, não caiu bem entre dirigentes, jogadores e comissão técnica. 

A postura do camisa 1 foi considerada como inadmissível e será discutida nos dois próximos dias.

A cúpula rubro-negra vai punir o jogador e isso já está definido, mas as consequências podem ser ainda maiores caso Diego Alves não peça desculpas ao elenco, principalmente a César, à comissão técnica e aos dirigentes, que estudam afastar o jogador por entender que a postura dele foi de total falta de respeito com o Flamengo e companheiros.
Oficialmente, o Flamengo não se pronuncia e diz que o assunto vai ser tratado internamente, mas a reportagem apurou que o futuro de Diego Alves está nas “mãos do goleiro”. A postura do camisa 1 na reunião com a diretoria, que pode ser nesta segunda, após o desembarque da delegação no Rio, ou na reapresentação na terça-feira (23), vai ser o “divisor de águas”. A única forma de o jogador evitar que sofra atitudes drásticas é se retratando e pedindo desculpas.
Após a goleada sobre o Paraná, por 4 a 0, o técnico Dorival Júnior foi questionado sobre o assunto. O comandante seguiu o discurso dos dirigentes e disse que a “situação está sendo trabalhada internamente”.

— A situação está sendo trabalhada internamente com tranquilidade. Nada que se torne mais importante do que os interesses da nossa equipe. O Diego é um grande profissional, nada contra ele. Diego retornou de lesão um pouco séria, fez poucos períodos de treinamento, mas independente disso quem jogaria hoje seria o César. Quando o posicionei, ele fez a solicitação. E a diretoria está conversando com ele com tranquilidade. Como vamos fazer também. Estamos num momento em que tudo está muito favorável, com ambiente de trabalho, com foco rodada a rodada. Com ele não vai ser diferente. Ele vai ser respeitado. É tudo questão de tempo. As coisas se ajustam. Ele vai ser importante para a nossa equipe -, disse Dorival.

A reportagem tentou contato durante o dia com a assessoria de Diego Alves, mas sem sucesso. Agora é aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Bastidores:
O pedido de Diego Alves para não viajar com a delegação para Curitiba aconteceu após o treino de sábado. Dorival, então, precisou convocar Gabriel Batista, quarto goleiro do elenco, às pressas. O ocorrido fez com que a lista de relacionados, geralmente divulgada pela assessoria antes dos embarques, atrasasse e fosse divulgada na noite de sábado, com o discurso de que o camisa 1 alegou “questões pessoais”.


Fonte: Coluna do Flamengo  

Postar um comentário

 
Top