GuidePedia

0

Time costuma errar muito e não vai bem quando sai atrás. Das 19 vezes em 2018, perdeu 12, empatou seis e virou apenas uma. Por outro lado, Rubro-Negro não sofreu virada



A derrota para o Botafogo expôs mais uma vez a dificuldade do Flamengo em furar retrancas. Não que o Alvinegro tenha jogado fechadinho, mas soube aproveitar bem o fato de ter feito dois gols no início e aguardou o time de Dorival, que teve 70% de posse de bola, mas não conseguiu buscar o resultado. Situação comum em 2018. Quando sai atrás, o Rubro-Negro não tem poder de reação. Tanto que virou apenas um jogo em 2018.

E lá se vão oito meses da última e única virada do Flamengo na temporada. Aconteceu em Guayaquil, em 14 de março, em noite de Vinicius Junior. O atacante saiu do banco no segundo tempo para marcar os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o Emelec, na fase de grupos da Libertadores. Vitória creditada muito mais ao talento do garoto do que à reação coletiva do time.

Em 63 jogos na temporada, o Flamengo saiu atrás em 19 deles. Desses, perdeu 12 e conseguiu empatar em seis vezes, além da virada sobre o Emelec.

Psicológico pesa em grandes jogos?

A dificuldade de reagir em situações adversas ficou exposta especialmente em confrontos decisivos. Seja no Carioca, na Libertadores, na Copa do Brasil ou em jogos-chave do Brasileirão, o Flamengo não teve poder de reação quando mais precisou.

O roteiro geralmente é parecido. O Flamengo fica com a bola, tem mais volume, por vezes consegue um gol ou outro, mas dicilmente reverte a situação. O fator piscológico, até pela enorme cobrança por conquistas, parece pesar. Geralmente são jogos travados, em que até os protagonistas cometem erros bobos. Até por isso o clube caminha para um ano sem conquistas, uma vez que o título brasileiro está distante, a cinco rodadas do fim.

O que disseram os treinadores após jogos-chave

- A equipe hoje estava nervosa, apressada em resolver. Faltou a jogada individual. Eu sou o responsável pelo o que aconteceu no campo de jogo. Essa equipe vinha produzindo, impondo o jogo. Mas a equipe estava muito nervosa hoje - Carpegiani, após a derrota e eliminação para o Botafogo no Carioca. Foi demitido no dia seguinte.

- Levamos um gol muito cedo em um erro nosso... Não conseguimos tirá-los da zona de conforto. Criamos chances, mas não conseguimos fazer. Resultado ruim, sentimento de frustração meu e de todos os atletas. Não imprimimos o jogo que podemos fazer. Ficamos presos ao jogo do Cruzeiro. Entendemos a frustração, mas precisamos virar a página

Barbieri, após derrota por 2 a 0 para o Cruzeiro no Maracanã, que encaminhou a eliminação na Libertadores.

- O futebol é caprichoso. Enfrentamos uma equipe com excelentes jogadores. Não é líder por acaso. Fizemos um jogo de troca de passes, transição rápida. Tentamos, os atletas se entregaram. Fizemos um grande jogo. Infelizmente não conseguimos finalizar - Dorival, após o empate por 1 a 1 com o Palmeiras, há pouco mais de duas semanas. O resultado esfriou a disputa pelo título do Brasileirão.

Fla não sofreu viradas

Se o poder de reação não parece ser o forte do atual elenco, o Flamengo costuma ir bem quando sai na frente. Em 2018, não sofreu nenhuma virada.
Em 32 das 33 vitórias, o Flamengo saiu na frente. Em outros cinco jogos em que teve a vantagem sofreu o empate.



Fonte: Globo Esporte 

Postar um comentário

 
Top